Para ouvir o áudio deste satsang, clique aqui.

(Os músicos cantam para Ganga)

Jay Gangue!

Se você olha com os olhos da matéria você vê somente um rio correndo. Se você olha com os olhos do espírito você vê que existe um mistério correndo. Ganga é misericordiosa, a compassiva – aquela que lava os nossos pecados. Pecado é uma palavra que foi distorcida ao longo do tempo, mas ela faz alusão a um equívoco e o principal equívoco é não amar. Esse é o pecado fundamental. Nesse sentido toda a humanidade é pecadora. Então, quando o coração está fechado não pode espargir seu néctar, todos os problemas surgem na vida do ser humano. E a Ganga tem o poder de lhe abrir o coração. Quando você tem a chance de receber do darsham dela, a abertura é automática. A Ganga é a shakti do Senhor Shiva. Shiva jamais deixa de atender um pedido de seu devoto. Mas ele próprio diz que a chave é a conexão com o Guru. Isso está escrito. Segundo as antigas tradições, Shiva disse: “Nada existe além do Guru”. Esse é um mistério a ser desvendado pelo coração.

E dentro desse caminho rumo ao despertar do amor, que é sinônimo de caminho da autorrealização (porque quando você pode amar a Terra e a todos os filhos dela, você está realizado), quando você pode abrir o coração e espargir o seu perfume, a meta da vida se realizou. Nesse estágio não é uma questão de aprender a amar, você se torna o amor. Assim como o sol que ilumina a todos por igual; como a água pura que mata a sede de todos; como a Ganga que dissolve os equívocos de todos. Ela não escolhe entre o rico e o pobre; não escolhe a nacionalidade… Ela simplesmente lava o seu coração, e dissolve os seus maus karmas.

Estando nesse caminho, passamos por alguns desafios. O principal é poder reconhecer a Divindade que nos habita e que está em tudo o que é vivo. Esse reconhecimento se dá quando você remove as vendas que encobrem sua visão, o que equivale a esquecer de si mesmo. Esse véu que cobre sua visão faz você ficar identificado com a sua história, encantado com ela. Muitas vezes para poder realizar esse desencantamento se faz necessário olhar de frente para os núcleos de identificação.

Eu sugeri um trabalho de cura, lhe convidei a adentrar no portal do masculino, onde no núcleo está o pai, para que você pudesse se harmonizar com esse portal. Para que você pudesse reconverter a energia distorcida que se manifesta na forma de violência; na forma muitas vezes da preguiça, tanto a passiva quanto a preguiça ativa – preguiça passiva que é uma imobilidade e a preguiça ativa onde você faz, faz, faz, mas sem resultados, porque você faz muitas coisas, menos aquilo que precisa ser feito. Na forma de sadismo, de abuso do poder, abuso da autoridade que é um desdobramento do abuso do poder. Tudo isso são distorções da energia masculina. Você usa o poder para machucar. E quando um portal desses é aberto, muitas coisas vêm para fora, porque quando a energia está distorcida, significa que tem dor no sistema; significa que têm sentimentos negados, imagens congeladas. Tudo isso você já sabe ao menos teoricamente. Agora alguns estão sabendo na prática, por exemplo:

Pergunta: Amado guriji, fui engolida pela obstinação ao escrever a carta para o meu pai. No meio da carta a dor ficou tão forte que nada mais tinha sentindo. Não tomei banho; não escovei os dentes, não me alimentei, dormi com a roupa que estava. Só ouvia minha mente dizendo não. Esse “não” é para meu pai, para mim e para a vida. Se meu pai, o grande amor da minha vida, não me amou, não quero mais nada da vida. Esse é o enredo da minha novela. Tenho como protagonista a vítima. Por favor, como faço para curar essa ferida imensa. Até hoje todos os homens me rejeitam. Vou conseguir uma relação saudável nesta vida?

Prem Baba: Eu não sei. Eu rezo para que sim. Estamos trabalhando firmemente como propósito de te libertar. Você chegou até aqui. Você fez a travessia mais difícil. Agora se faz necessário um pouco de paciência. Talvez nessa vida, talvez na próxima. Não se preocupe com o tempo. O tempo é uma ilusão. O que importa é que você está no processo e a sua cura está aberta. Você está entrando em contato com o núcleo de dor.

Outro caso: Ontem a noite chegou um rapaz para mim dizendo que se recolheu para fazer a prática sugerida, foi para uma floresta meditar, fazer o mantra do pai e foi atacado por um grupo de homens que bateram nele. Ele teve que sair correndo para se proteger. Isso quer dizer alguma coisa. Essa é claramente uma distorção do masculino. O masculino é a força da ação que quando contaminada pelo ódio se transforma em violência. Sua cura também está aberta. Há que se transformar essa violência e você não transforma a violência lá fora sem transformar a violência dentro de você. A transformação só é possível dentro. Se você está atraindo a violência fora, é porque tem uma violência dentro de você atraindo isso, mesmo que ainda você não esteja podendo reconhecer essa violência. Às vezes são karmas que você carrega. Violências que estão na sua constelação familiar, mas que orbitam no seu inconsciente. Você vibra nessa violência porque em algum grau tem uma identificação.

Alguém disse certa vez que não cai uma folha da árvore ao acaso. Pode ser que determinado evento que aconteça não esteja relacionado à imagem, mas sempre existe a lei de causa e efeito. Se é uma situação específica eventual, deixa ir embora. Caiu e levanta. Se foi o pneu do carro que furou, troca e segue a jornada, mas se tem uma repetição, então tem algo para ser investigado. Tem que olhar para a causa que está atraindo um efeito repetitivo. Se tem repetição, tem uma imagem. Imagem é uma concepção equivocada a respeito da vida que está congelada no sistema. Em algum momento você acabou internalizando uma crença e se fixou nela.

Talvez a sua referência do masculino seja o abuso do poder. Quem é esse homem que abusa do poder que faz com que você acredite que todo o homem abusa do poder? Que faz você atrair homens que abusam do poder para poder validar a sua crença? Em algum momento você vai precisar chegar a um acordo com esse pai dentro de você ou com esse avô, esse tio, esse irmão; esses homens que te habitam. Continue a sua investigação até que você possa compreender a sua história. Essa compreensão é que te liberta dela. Essa compreensão que fará você se desidentificar dessa criança tão ferida, mas para poder compreender se faz necessário liberar esses sentimentos do seu sistema.

Qual o sentimento que está por trás desse “não” que não deixa você se mover, nem tomar banho, nem se alimentar? Que sentimento é esse? Com certeza tem raiva, deve ter medo também, entre outras coisas. Continue o processo. Deixa vir. Vou dar mais um dia para esse processo se desenvolver. Se você se sente harmonizado com esse portal, você só irradia a sua luz, mas não se engane e não perca a chance de dar uma passeada por esse portal. Faça o japa com a palavra papai. E num contraponto dessa questão:

Pergunta: Guruji, nós temos um filho de um ano e meio e temos tentado fazer o melhor que podemos para que ele sinta o quanto o amamos e para que ele sinta que pode confiar em nós e no mundo. Estamos tentando dar o máximo de liberdade que podemos. Como podemos estabelecer limites e ao mesmo tempo não violar a sua vontade?

Prem Baba: A criança precisa de limites. Precisa de regras bem claras e definidas, mas precisa saber também que essas regras possam ser quebradas quando necessário. Muitas vezes por amor e proteção saudável, você precisa colocar limites e esses limites acordam imagens que a criança traz, porque ela precisa viver o jogo, mas esse limite não vai criar traumas porque são limites que nascem de um coração amoroso. Qual referência a não ser dos pais que as crianças vão ter para se movimentar nesse mundo? Os pais precisam dar o exemplo para a criança. A criança aprende com o exemplo e se você está com o coração amoroso, você vai ensinar pelo exemplo e vai dar limites sem culpas. Se está sentindo culpa, tem então alguma questão para ser observada.

Pergunta: Querido Prem Baba, parece que algumas pessoas pensam que o Awaken Love significa dar muitos abraços e beijos. A placa na entrada do ashram pede para evitar isso e algumas pessoas estão dando tantos abraços que isso está se tornando invasivo e indiscreto.

Prem Baba: Isso é uma questão que pode ou não ter a ver com o Awaken Love. Aqui no ashram pedimos e colocamos limites em respeito à tradição védica e aos antigos costumes do ashram, mas não sei isso tem a ver ou não com o Awakem Love, mas aqui dentro, é verdade que tem regras que precisam ser respeitadas.

E a pergunta continua: Além disso, você pediu para olhar para energia do pai e eu vi que o relacionamento que eu tive com um homem há algum tempo, precisa de um limite firme. Eu terminei com ele e energeticamente ele está me prendendo; ele está se recusando a ir e caminhar com suas próprias pernas. Como posso me desconectar dele?

Prem Baba: Você se desconecta não segurando-o. Se você está sentindo ele te segurando é porque você está segurando ele ainda. Esse limite foi colocado superficialmente, dentro você continua segurando essa pessoa. Ainda não está claro o que você quer dessa pessoa, o que você projeta nessa pessoa. Estamos falando aqui sobre distorções do masculino.

Como podem ver não estou muito inclinado a dar discurso, porque hoje estou trabalhando com você em outro nível e quando estou trabalhando lá dentro de você, eu não consigo falar muito. O discurso é para te ajudar a elaborar a experiência, mas o mais importante é a experiência em si, o que está acontecendo dentro.

Prem Baba canta:

Meu pai, meu pai.

Meu pai, que tem amor.

Meu pai, meu pai,

Meu pai, que tem amor.

A vida eu sinto em razão do meu pai que é puro amor

A vida eu vivo em razão do meu pai que é puro amor

A vida eu sinto em razão do meu pai que é puro amor

A vida eu vivo em razão do meu pai que é puro amor

E para você, quem é o seu pai? O que é o seu pai para você? Como tem sido a sua relação com o masculino – o masculino dentro de você e o masculino fora de você? Como tem sido a sua relação com o poder?

Hoje tem barulho por todo o lado (crianças lá fora, motor).

Cheguei tão perto de papai

E o universo estremeceu

É a minha experiência nessa vida, nesse corpo. Esse corpo viveu essa experiência.

Cheguei tão perto de mamãe

E uma estrela apareceu

Iluminou meu pensamento

E um presente ela me deu

Cheguei tão perto de papai

E o Universo estremeceu.

Transmutou o sofrimento

E a verdade conheceu

Vem lá dos altos do infinito

O silêncio curador

Joia de lótus que brilhou

Na luz do criador

Soloína com amor

Todos os seres que ajudou

Irradiando a verdade

Eu sou eu sou eu sou.

Consagrando a verdade

Eu sou eu sou eu sou.

Eu também passei por esses portais. A distorção do masculino é barulhenta. Compreende o que estou dizendo? A violência é barulhenta. Compreende o lila?

Quanto abuso de poder em nome do amor, não é? Uau…Vamos continuar esse trabalho mais um dia. Amanhã a gente muda a página. Se você sente ainda que tem coisas para serem liberadas, pode trazer a carta amanhã. Está aberto, vou receber as cartas de quem trouxe hoje.

Abençoado seja cada um de vocês. Que o amor e a sabedoria iluminem o seu caminhar.

Até o nosso próximo encontro.

NAMASTE

 

Posts Relacionados

Copyright © 2009-2017 Awaken Love. All rights reserved.