Para ouvir o áudio deste satsang, clique aqui.

(Um devoto oferece uma poesia)

Sri Prem Baba: Muito lindo. Obrigado.

Agora eu lhe convido a se recolher por um instante em silêncio. Por um instante, alinhe seu corpo, deixe a cabeça no prolongamento da coluna e os olhos fechados com suavidade. Inspire e expire profundamente e, a cada expiração, permita-se se esvaziar de toda expectativa, de todo desejo. Permita-se relaxar na calma do seu coração, de onde você simplesmente testemunha o fluxo da impermanência. Faça isso por um instante. Quando sentir vontade, abra os olhos. E vamos seguir nossa jornada de autoconhecimento, de lembrança de si mesmo. Vamos abrir o livro da vida e encontrar aquilo que estamos precisando compreender. São muitas boas perguntas, mas hoje escolhi seguir essa trilha:

Pergunta: Caro Prem Baba, o meu primeiro encontro com você foi num sonho. Eu ainda não o conhecia. Depois desse sonho, devido a uma série de sincronicidades, cheguei até aqui, mas ao chegar senti um medo inexplicável. Fui embora. Isso aconteceu duas vezes. E pela terceira vez eu estou aqui. É como se eu estivesse sendo trazida por uma força maior. Eu não domino, não estou conseguindo resistir, o que está acontecendo? Você pode me explicar?

Sri Prem Baba: Sinceramente, eu sinto que você não está precisando de uma explicação. Sinto que você está precisando de um abraço. Um abraço que lhe permita sentir segurança para poder se perder no amor e encontrar a si mesmo. Eu sinto como se sua alma estivesse cantando assim:

A onda do mar desfaz-se no mar

A onda do mar desfaz-se no mar

Faz assim oh meu Senhor

Faz assim oh meu Senhor

Tu e eu sempre unidos

Tu e eu sempre unidos

Ao mesmo tempo, a parte de você identificada em ser uma onda está desesperada, com medo de se tornar o mar. Desesperada, quase em pânico. Um pânico de perder as referências, um medo de perder o mundo que até então você conhecia. Esse é o grande dilema da alma humana em evolução nesse planeta: a relação entre medo e desejo. A criança quer correr pelo mundo, mas tem medo de perder o colo da mãe. E isso continua acontecendo de muitas diferentes maneiras ao longo da vida, até que chega um momento em que você deseja a iluminação, mas tem medo de perder o ego. Você quer ir além, quer desvendar os mistérios da existência, mas tem medo de perder o mundo que criou e que te dá uma sensação de segurança.

Eu sinto que o principal desafio da jornada, e ao mesmo tempo o principal aprendizado, é aprender a aceitar as mudanças, que são inevitáveis e não são boas nem más; elas apenas chegam e nos convidam a seguir por um caminho diferente. E eu digo que esse é o principal desafio, e ao mesmo tempo o principal aprendizado, porque existe um fenômeno na consciência humana que é muito difícil de lidar: o apego. O apego às nossas criações e às histórias que criamos a respeito de nós mesmos. Passamos a acreditar que sem essa história não sobreviveremos. Em contrapartida, é claro que a mudança lhe convida a encarar os seus apegos; convida também muitas vezes a aprender a lidar com frustração, e lhe leva a se sentir vulnerável, porque você descobre que não controla nada. E essa talvez seja a maior ilusão do ego, que tem como principal frase: “Eu controlo”.

Durante uma fase da jornada, é importante o ego acreditar que pode controlar, porque o ego está em fase de maturação, precisando ser cristalizado, e você precisa ter o que renunciar. Não é interessante essa jornada? Parece que primeiro você precisa construir um tapete vermelho para pisar em cima; com isso, você vai se sentindo grande, forte, dizendo “eu controlo, eu mando”, e, então, quando está no ápice, algo que você não controla vai tirando o tapete debaixo dos seus pés. E você vai diminuindo, diminuindo, até que desaparece. A onda desaparece, mas se torna o mar. Esse momento você não controla. Alguns dizem que é um acidente cósmico. Você foi pego. Foi pego! O que eu posso lhe sugerir é: levante os braços para o céu e agradeça. Que sorte! Caiu na rede do Prem Baba. Mas eu compreendo o seu medo, eu já estive aí nesse lugar e sei que pode ser desesperador, porque essa mudança do ciclo da vida traz consigo uma morte. E você pode sentir como se fosse um aniquilamento, que é mais do que a morte, é um desaparecimento. Isso, no mais profundo é o que você deseja: desaparecer. Contudo, neste momento, você não está sozinho dentro de você, pois a luz e a sombra estão brincando de esconde-esconde, em outras palavras, o eu divino e o eu inferior estão brincando de esconde-esconde. E não há o que possa ser feito. Neste momento, não há o que possa ser feito. Você tem que passar por isso. Em algum momento, esse medo se transforma em confiança. A travessia do falso para o real tem seus desafios. Aproximar-se de um mestre espiritual tem seus desafios.

É dito que, assim como uma mãe guarda o seu filho no ventre por aproximadamente nove meses, até que ele esteja pronto para vir ao mundo, o mestre guarda o discípulo no ventre por vidas, até que ele tenha desenvolvido confiança o suficiente, e, então, o mestre começa: corta uma perna, corta a outra, corta um braço, corta outro, Até que o discípulo tem confiança o bastante para entregar a cabeça do seu ego.

É necessário bom humor para lidar com isso.

Estou aqui me lembrando do momento em que eu estive transitando nessa casa do jogo da vida. Foi desesperador, eu me sentia no fim da linha. Então, o Maharaj foi me apertando, apertando, até que eu me rendi, e foi quando senti de verdade que não sabia de nada. Eu disse: “Não sei nada, só sei do seu amor. Preencha o meu pode vazio com o néctar do seu amor. Pega a minha mão e me leva”. Por quanta coisa passamos aqui nesse mundo, não é? Até que possamos amar a todos e servir a todos; até que possamos amar à Terra e a todos os filhos dela. E é isso, essa é a essência do jogo: amar à Terra e a todos os filhos dela, tornar-se um canal puro do amor. Isso é se tornar o oceano.

Você me pergunta:

Pergunta: Como vencer a depressão?

Sri Prem Baba: O assunto é complexo. Existem caminhos diferentes para situações diferentes, mas tem um denominador comum, que é o amor represado. É o amor represado que se transforma em veneno, que deprime, adoece e mata. Portanto, um bom remédio é você, pelo menos, dar um passo em direção a colocar esse amor em movimento. Doe-se de alguma maneira, nem que seja oferecendo uma hora por semana para um serviço voluntário. Experimente, mesmo que ainda não seja autêntico em um primeiro momento. Nem que seja só porque o Prem Baba está falando. Tudo bem, nesse momento eu sou seu médico e você é meu paciente, e eu estou te dando essa receita. Experimente. Assim você abre o caminho.

E você ainda me pergunta assim:

Pergunta: Querido Baba, é possível ser feliz sem espiritualidade em nossas vidas?

Sri Prem Baba: Não. Não é possível. Felicidade é uma expressão da conexão com o seu eu verdadeiro. Alegria sem causa – ou seja, bem-aventurança – é uma expressão do seu Ser. E só a consciência do Ser possibilita que você experiencie bem-aventurança; do contrario, você vai ter momentos de prazer, que é o intervalo entre duas tristezas.

Há uns dias, alguém me perguntou qual seria a saída para a política. E eu falei: espiritualizar-se é a única saída. Você pode duvidar do que estou dizendo; mas, se você está duvidando, eu peço que vá atrás da verdade, porque, até onde eu pude estudar, eu afirmo com convicção que não há outra saída para o ser humano. Chegamos nesse estágio da evolução da consciência em que estamos sendo convidados a dar um salto. Estamos nos movendo em direção às estrelas, para que possamos nos lembrar de que somos seres estelares, seres cósmicos, seres espirituais vivendo uma aventura na matéria. O que ocorre é que nos esquecemos disso e chegou a hora de nos lembrarmos. Esse balanço no mundo é para provocar a nossa memória, para que possamos lembrar quem somos e o que de fato viemos fazer aqui. Quanto mais resistimos, mais o balanço aumenta. Isso chega, em algum momento. Eu não tenho como explicar, assim como acontece no nível pessoal, acontece no coletivo. Não tem com explicar que o amor te pegou e vai te apertar, até sobrar só a mais pura essência, que é ele mesmo. Até que você e ele se reconheçam como sendo o mesmo. Como a poesia de Kalil Gibran, que, em outras palavras, diz: o amor te leva nas alturas, mas te leva nas profundezas, para que você possa perceber o seu apego à Terra, para que você possa ir além disso. O amor trabalha para que você se funda nele:

A onda do mar desfaz-se no mar

A onda do mar desfaz-se no mar

Faz assim oh meu Senhor

Faz assim oh meu Senhor

Tu e eu sempre unidos

Tu e eu sempre unidos

E, assim, você vai sustentando a conexão.

Minha oração é essa: que cada palavra que saia da minha boca seja a expressão do teu santo verbo; que cada ato por mim praticado seja a expressão da tua santa vontade; que eu seja um contigo; que a nossa ligação nunca seja quebrada.

E, então, tendo estabelecido essa unicidade com o plano divino dentro de você, você trabalha para que outros possam também estabelecer essa mesma unidade. Então, você transforma a sua vida em serviço. Assim é.

E falando em serviço:

Pergunta: Querido Guru ji, gostaria de agradecer a todos os profissionais da saúde, que nos doaram seus dons e tempo ontem, no dia da saúde. Foi lindo, me senti em um hospital espiritual. Que todos nós possamos colocar nossos dons e talentos a serviço do propósito maior.

Sri Prem Baba: É, de fato, incrivelmente maravilhoso quando o amor se coloca em movimento, através do serviço. Quanta beleza, quanta luz, quantos milagres se manifestam.

Para completar, eu quero dizer que, assim como eu sinto a alma do buscador cantando para se dissolver no oceano de amor, é importante saber que todos os sábios, todos os santos, todos os mestres realizados, cantam constantemente, mesmo que no silêncio:

PRABHU AAP JAGO

PRABHU AAP JAGO

PRABHU AAP JAGO

PARMATMA JAGO

Acorde, acorde, acorde. Em outras palavras: levante-se, vá até os homens sábios e receba deles o conhecimento que te liberta. Assim é como funcionam as coisas aqui nesse planeta. Esses sábios, santos, esses mestres, são como uma vigília ao redor do planeta, trabalhando pelo despertar da consciência.

Ok, isso é suficiente por hoje.

Abençoado seja cada um de vocês. Que você possa se reconhecer como o amor puro dos amantes que nenhum mortal pode proibir. Até um próximo encontro.

NAMASTE

 

 

Copyright © 2015-2017 Awaken Love Associação. Todos os direitos reservados.